Publicado por: masfg | agosto 12, 2009

LETRAMENTO

 

Magda Becker Soares

Imagem decorativaO que é letramento e alfabetização

Neste texto, vamos discutir conceitos e, portanto, palavras, ou, se quiserem, vamos discutir palavras e, portanto, conceitos: os conceitos alfabetização e letramento, as palavras alfabetização e letramento.

Em um primeiro momento, gostaria de fazer um “passeio” pelo campo semântico em que se inserem essas palavras, esses conceitos. São palavras de uso comum, conhecidas, exceto talvez letramento, palavra ainda desconhecida ou mal entendida, ou ainda não plenamente compreendida pela maioria das pessoas, porque é palavra que entrou na nossa língua há muito pouco tempo.

 

 

ALFABETIZAÇÃO ALFABETIZAR ALFABETIZADO

ANALFABETISMO ANALFABETO

LETRAMENTO LETRADO ILETRADO

 

 

 ALFABETISMO

Não precisamos definir essas palavras, porque estamos familiarizados com elas, talvez com exceção apenas da palavra letramento. Mas vou me deter nelas para conduzir nossa reflexão em direção ao sentido de letramento.

 Vejamos as definições que aparecem no dicionário Aurélio:

 analfabetismo: estado ou condição de analfabeto

 izar:

sufixo,

indica: tornar, fazer com que.

Exemplos:

suavizar: tornar suave;

industrializar: tornar industrial

 Alfabetizar é tornar o indivíduo capaz de ler e escrever.

Alfabetização: ação de alfabetizarAlfabet + iza(r) + ção

 

   

 

-ção: sufixo que forma substantivosindica: açãoExemplos:

traição: ação de trair

nomeação: ação de nomear

 

Alfabetização é a ação de alfabetizar, de tornar “alfabeto”.

 

Causa estranheza o uso desa palavra “alfabeto”, na expressão “tornar alfabeto”. É que dispomos da palavra analfabeto, mas não temos o contrário dela: temos a palavra negativa, mas não temos a palavra positiva.

 É no campo semântico dessas palavras que conhecemos bem – analfabetismo, analfabeto, alfabetização, alfabetizar – que surge a palavra letramento. Como surgiu essa palavra e o que quer ela dizer?

 

LETRAMENTO?

 Conhecemos as palavras letrado e iletrado:

 : versado em letras, erudito
iletrado: que não tem conhecimentos literários

uma pessoa letrada = uma pessoa erudita, versada em letras (letras significando literatura, línguas)

uma pessoa iletrada = uma pessoa que não tem conhecimentos literários, que não é erudita; analfabeta, ou quase analfabeta.

O sentido que temos atribuído aos adjetivos letrado e iletrado não está relacionado com o sentido da palavra letramento.

A palavra letramento ainda não está dicionarizada, porque foi introduzida muito recentemente na língua portuguesa, tanto que quase podemos datar com precisão sua entrada na nossa língua, identificar quando e onde essa palavra foi usada pela primeira vez.

Parece que a palavra letramento apareceu pela primeira vez no livro de Mary Kato: No mundo da escrita: uma perspectiva psicolinguística, de 1986.

A palavra letramento não é, como se vê, definida pela autora e, depois dessa referência, é usada várias vezes no livro; foi, provavelmente, essa a primeira vez que a palavra letramento apareceu na língua portuguesa – 1986.

 Depois da referência de Mary Kato, em 1986, a palavra letramento aparece em 1988, no livro que, pode-se dizer, lançou a palavra no mundo da educação, dedica páginas à definição de letramento e busca distinguir letramento de alfabetização: é o livro Adultos não alfabetizados – o avesso do avesso, de Leda Verdiani Tfouni (São Paulo, Pontes, 1988, Coleção Linguagem/Perspectivas) um estudo sobre o modo de falar e de pensar de adultos analfabetos.

Mais recentemente, a palavra tornou-se bastante corrente, aparecendo até mesmo em título de livros, por exemplo: Os significados do letramento, coletânea de textos organizada por Ângela Kleiman, (Campinas, Mercado das Letras, 1995) e Alfabetização e letramento, da mesma Leda Verdiani Tfouni, anteriormente mencionada (São Paulo, Cortez, 1995, Coleção Questões de nossa época).

Na busca de esclarecer o que seja letramento, talvez seja interessante refletirmos sobre o seguinte: vivemos séculos sem precisar da palavra letramento; a partir dos anos 80, começamos a precisar dessa palavra, inventamos essa palavra – por quê, para quê?

 

Por que aparecem palavras novas na língua?

Portanto: o termo letramento surgiu porque apareceu um fato novo para o qual precisávamos de um nome, um fenômeno que não existia antes, ou, se existia, não nos dávamos conta dele e, como não nos dávamos conta dele, não tínhamos um nome para ele.

Resposta:
Na língua sempre aparecem palavras novas quando fenômenos novos ocorrem, quando uma nova idéia, um novo fato, um novo objeto surgem, são inventados, e então é necessário ter um nome para aquilo, porque o ser humano não sabe viver sem nomear as coisas: enquanto nós não as nomeamos, as coisas parecem não existir.

Um exemplo:
hoje em dia se usa com muita freqüência a palavra globalização, abrimos o jornal e lá está a palavra globalização; poucos anos atrás, ninguém usava essa palavra, não no sentido com que a estamos usando atualmente. Por que surgiu a palavra globalização( Porque surgiu um fenômeno novo na economia mundial, e foi preciso dar um nome a esse fenômeno novo -surge assim a palavra nova.

Qual é o significado dessa palavra letramento?

Por que surgiu essa nova palavra, letramento?

Onde fomos buscar essa nova palavra, letramento?

Comecemos por responder à última pergunta.

Onde fomos buscar a palavra letramento?

 Na verdade, a palavra letramento é uma tradução para o Português da palavra inglesa literacy; os dicionários definem assim essa palavra:

 literacy = the condition of being literate

littera + cy

 palavra latina = letra

de ser letrado” – dando à palavra letrado” sentido diferente daquele que vem tendo em português. Em inglês, o sentido de literate é:

 

literate: educated; especially able to read and write (educado; especificamente, que tem a habilidade de ler e escrever)

Literate é, pois, o adjetivo que caracteriza a pessoa que domina a leitura e a escrita, e literacy designa o estado ou condição daquele que é literate, daquele que não só sabe ler e escrever, mas também faz uso competente e freqüente da leitura e da escrita.

 

Há, assim, uma diferença entre saber ler e escrever, ser alfabetizado, e viver na condição ou estado de quem sabe ler e escrever, ser letrado (atribuindo a essa palavra o sentido que tem literate em inglês). Ou seja: a pessoa que aprende a ler e a escrever – que se torna alfabetizada – e que passa a fazer uso da leitura e da escrita, a envolver-se nas práticas sociais de leitura e de escrita – que se torna letrada – é diferente de uma pessoa que ou não sabe ler e escrever – é analfabeta – ou, sabendo ler e escrever, não faz uso da leitura e da escrita – é alfabetizada, mas não é letrada, não vive no estado ou condição de quem sabe ler e escrever e pratica a leitura e a escrita.

Vamos falar um pouco sobre LETRAMENTO.

O homem letrado é o mesmo que alfabetizado?

 

 

 

 


Responses

  1. Essa contribuição , uma vez que redefine novos padrões no âmbito do ato comunicativo,é de suma importância, pois não basta dominar a língua instituída, mas sim dominar as tecnologias disponíveis no século XXI.As inovações tecnológicas é primordial no mundo globalizado de hoje .Com o avanço tecnológico é perceptível que os gêneros textuais atuais estejam em diversas situações do cotidiano e diante tantas inovações e avanços cada vez mais rápidos, faz saber que não só os educadores bem como toda a sociedade deve valorizar e apropriar-se desses novos gêneros .

  2. Não, visto que, o entendimento do contexto de mundo de cada indivíduo, independe de alfabetização. Segundo Magda B. Soares “Letrar é mais que alfabetizar, é ensinar a ler e a escrever dentro de um contexto onde a leitura e a escrita tenham sentido e façam parte da vida do aluno.”

  3. O homem letrado não é o mesmo que alfabetização,pois a alfabetização é apenas um meio para o letramento cultural.O esclarecimento
    feito por Soares é de extrema importãncia (2004, p. 15) “[…] a alfabetização não precede o letramento, os dois processos são simultâneos”, nem tão simples, nem tão óbvio.O letramento usa as práticas sociais que requeiram a leitura e a escrita compreendida em toda sua
    amplitude.Conclua-se, que alfabetização e letramento devem caminhar juntos, para o exercício da plena cidadania É preciso saber usar a leitura e a escrita em práticas sociais e que o professor se dê conta de todas as possibilidades e implicações deste momento da formação de seus alunos.

  4. … Aprender a ler, a escrever, alfabetizar-se é, antes de mais nada, aprender a
    ler o mundo, compreender o seu contexto, não numa manipulação mecânica
    de palavras, mas numa relação dinâmica que vincula linguagem e realidade.
    (Paulo Freire)
    “Durante muito tempo, pensava-se que ser alfabetizado era conhecer o código lingüístico, ou
    seja, conhecer as letras do alfabeto. Atualmente, sabe-se que, embora seja necessário, o
    conhecimento das letras não é suficiente para ser competente no uso da língua escrita. A língua não
    é um mero código para comunicação. A linguagem é um fenômeno social, estruturado de forma dinâmica e coletiva e, portanto, a escrita também deve ser vista do ponto de vista cultural e social.
    Para dar conta desse processo de inserção numa cultura letrada, tal como a atual, utiliza-se
    atualmente a palavra letramento.” É importante antes de tudo , fazer com que nossos educandos faça a leitura de seu próprio mundo, tomando consciência de seu papel na sociedade e utilizando a linguagem como processo de transformação do mundo em que vive.

    Izabel Barbosa

  5. O homem letrado pode não ser alfabetizado, assim como o contrário pode acontecer, pois o letrado domina a leitura, reconhece e usa vários gêneros textuais, enquanto o alfabetizado, aquele que sabe ler e escrever, nem sempre sabe fazer uso dos gêneros textuais na sua vivência. Portanto o letramento independe da alfabetização, mas ambos devem caminhar juntos.

  6. Alfabetizado, letrado, não

    José andava muito preocupado. Cursara até a 4ª série do 1º grau, hoje Ensino Fundamental. Nosso personagem não deveria estar inculcado com uma situação que iria enfrentar. Ele é um alfabetizado.
    Ele conseguira um emprego de servente de pedreiro. Dentre as habilidades da função, teria que saber dosar, traçar a argamassa, preparar a massa para o reboco da casa.
    Deram-lhe um manual de instrução, em que ele deveria ler todas as instruções para o preparo adequado do material.
    Na instrução, estava a quantidade de cimento que deveria ser misturada à areia. Dizia que para uma terça parte de areia, deveria ser usada uma parte de cimento.
    Tudo pronto. O pedreiro iniciou o reboco. O serviço ficou lindo, nivelado, desempenado.
    No dia seguinte, ao chegarem à obra, surpresa geral: todo o reboco houvera desmoronado.
    José não soubera ler as instruções, isto é, não compreendera o que significava terça parte, por exemplo.
    Pois bem, nosso servente era alfabetizado, mas não era letrado. Onde estudara não lhe criaram situações reais de uso da língua materna, isto é, a escola não se preocupou em transformar José numa pessoa letrada.
    Essa escola desenvolveu no nosso homem algumas habilidades e comportamentos de leitura, quais sejam a ele foi dado o poder de decodificar sílabas ou palavras. Faltou a ele o convívio constante com a leitura de diversos gêneros de textos, inclusive com aqueles próprios de sua profissão. Essa escola jamais colocara José, por exemplo, em contato com textos de instrução. José era alfabetizado, mas não era letrado. Nosso servente de pedreiro não era possuidor de letramento.
    Infelizmente nosso personagem passou a compor o time dos desempregados.

  7. Um indivíduo letrado não é necessariamente um indivíduo letrado. Alfabetizado é aquele indivíduo que sabe ler e escrever; letrado é aquele que sabe ler e escrever, mas que também responde adequadamente às demandas sociais da leitura e da escrita. A alfabetização somente se ocupa da aquisição da escrita pelo indivíduo ou grupos de indivíduos, o letramento focaliza os aspectos sócio-históricos da aquisição de um sistema escrito por uma sociedade. Letramento é informar-se por meio da leitura, é buscar artigos, notícias e lazer nos jornais, é interagir escolhendo o que desperta interesse, divertindo-se com as tirinhas, seguir uma receita culinária, a lista de compras no supermercado, comunicar-se através do recado, do telegrama, da carta. Letramento é descobrir-se pela leitura e pela escrita, é entender quem nós somos e é descobrir quem podemos ou poderemos ser.

  8. Correção do comentário acima:
    Linha 1: Um indivíduo alfabetizado não é necessariamente um indivíduo letrado. (Magna se você tiver como corrigir… Desculpe).

  9. Não. Segundo Magda B. Soares “Letrar é mais que alfabetizar, é ensinar a ler e a escrever dentro de um contexto onde a leitura e a escrita tenham sentido e façam parte da vida do aluno.”
    O professor precisa levar para a sala de aula diferentes gêneros textuais para que o aluno aprenda a interpretá-los usando-os em seu cotidiano. Aí sim, o cidadão torna-se letrado.

  10. Não. A ALFABETIZAÇÃO é a aquisição do código linguístico para o ato comunicativo e o LETRAMENTO é a função social que o usuário se apropria para usar a linguagem em diferentes situações sociocomunicativas. Portanto, o usuário pode ser alfabetizado e não ser letrado uma vez que não interage com o outro e nem com os texto de modo intertextual.

  11. Não. Alfabetizar e adquirir o código e Letramento é a leitura que o sujeito desenvolve a partir de suas experiências vivida e do conhecimento de mundo somado ao longo de sua existência.

  12. Acredito que letramento e alfabetização se completam mas não são possuem o mesmo conceito. A alfabetização é o processo inicial da aquisição de leitura e escrita , é a sistematização da leitura e escrita. Já o letramento é a utilização dos recursos linguísticos que utilizamos em diferentes situações de uso. É aquilo que fazemos com o conhecimento que adquirimos, a forma como o aplicamos em diferentes situações. Assim um homem que não é alfabetizado, é letrado se considerarmos as suas vivências e o conhecimento de mundo que possui.

  13. O homem letrado é o mesmo que alfabetizado?
    R: Não. Letramento é muito mais que alfabetização. Um homem alfabetizado é aquele que apenas sabe ler e escrever. Um homem letrado é aquele que interage com diferentes portadores de leitura e de escrita, com diferentes gêneros e tipos de leitura e de escrita, com as diferentes funções que a leitura e a escrita desempenham em sua vida; um homem letrado, enfim, é aquele que se envolve nas numerosas e variadas práticas sociais de leitura e de escrita.

  14. não Letramento é muito mais que alfabetização. Um homem alfabetizado é aquele que apenas sabe ler e escrever. Um homem letrado é aquele que interage com diferentes portadores de leitura e de escrita, com diferentes gêneros e tipos de leitura e de escrita, com as diferentes funções que a leitura e a escrita desempenham em sua vida; um homem letrado, enfim, é aquele que se envolve nas numerosas e variadas práticas sociais de leitura e de escrita.

  15. Não. A alfabetização é a aquisição do código linguístico para o ato comunicativo e o letramento é a função social que o usuário adquire para usar a linguagem em diferentes situações sociocomunicativas. Portanto, o usuário pode ser alfabetizado e não ser letrado uma vez que não interage com o outro e nem com os textos lidos.

    • concordo plenamente contigo Tati

  16. O conhecimento das letras é apenas um meio para o letramento , que é o uso social da leitura e da escrita. Para formar cidadãos atuantes e interacionistas, é preciso conhecer a importância da informação sobre letramento e não de alfabetização. Letrar significa colocar a criança no mundo letrado, trabalhando com os distintos usos de escrita na sociedade. Essa inclusão começa muito antes da alfabetização, quando a criança começa a interagir socialmente com as práticas de letramento no seu mundo social. O letramento é cultural, por isso muitas crianças já vão para a escola com o conhecimento alcançado de maneira informal absorvido no cotidiano. Ao conhecer a importância do letramento, deixamos de exercitar o aprendizado automático e repetitivo, baseado na descontextualização.

  17. Muito interessante a forma com que a autora nos conduz em seu livro, não deixa margens a dúvidas, gostei muto dessa leitura, que além de contribuir para nossa formação, não se torna uma leitura cansativa.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: