Publicado por: masfg | junho 7, 2011

ESPECIALMENTE PARA OS ALUNOS DO 2º ANO DO ENSINO MÉDIO DO COLÉGIO TIRADENTES DA POLÍCIA MILITAR.

Olá queridas e queridos!

Conversaremos sobre ” Filosofia de Cordel“, aqueles  livretos  feitos por repentistas nordestino, onde relatam aconteciementos  reais em versos rimáticos, são meios de comunicação, diversão e propagação de conhecimento para seus autores e seus leitores, mas também são importantes registros e fontes de pesquisa que revelam olhares diversos sobre a população e a cultura popular.

A literatura de Cordel, engloba comportamentos éticos, morais, temporais, reflexões, humor, cidadania, preconceito linguístico, regionalismo.

Literatura de cordel é um tipo de poema popular, originalmente oral, e depois impressa em folhetos rústicos ou outra qualidade de papel, expostos para venda pendurados em cordas ou cordéis, o que deu origem ao nome originado em Portugal, que tinha a tradição de pendurar folhetos em barbantes. No Nordeste do Brasil, o nome foi herdado (embora o povo chame esta manifestação de folheto), mas a tradição do barbante não perpetuou. Ou seja, o folheto brasileiro poderia ou não estar exposto em barbantes. São escritos em forma rimada e alguns poemas são ilustrados comxilogravuras, o mesmo estilo de gravura usado nas capas. As estrofes mais comuns são as de dez, oito ou seis versos. Os autores, ou cordelistas, recitam esses versos de forma melodiosa e cadenciada, acompanhados de viola, como também fazem leituras ou declamações muito empolgadas e animadas para conquistar os possíveis compradores.

CORDEL


Relendo – O banquete

Reeleitura em Cordel

de Maria das Dores da Silva

Eu vim dissertar aqui
Com a alma e o coração
O que achei interessante
No diálogo de Platão
Que pra falar de amor
Usou de tanto macete
Através dos convidados
Que estavam no “Banquete

Na verdade “O Banquete”
De banquete pouco tinha
Era mesmo uma festa
Regada a muito vinho
E por estarem de ressaca
Os convidados decentes
Resolveram então fazer
Uma coisa diferente

Não quiseram nem beber
Como era de costume
Foram louvar o amor
Em claro e alto volume
Então o retórico FEDRO
Sendo o primeiro a falar
Prestou homenagem a EROS
Não cansou de elogiar

Disse FEDRO que o deus EROS
Faz o homem ser virtuoso
Envergonhar-se do mal
Ser devoto e corajoso
Que os nascidos do amor
São divinos em desmedida
E serão os mais felizes
Nesta e na outra vida

PAUSÂNIAS recriminou
De FEDRO o discurso feito
Achou que há mais de um EROS
E para falar direito
Teria que dividir
Em duas partes por igual
Homenagear a alma
E o aspecto sexual

Falou que ao primeiro EROS
Devemos render tributo
Por inúmeras qualidades
E o bem absoluto
Já para o segundo EROS
Por ser apenas corporal
Representa sofrimento
Está mais próximo do mal

Chegou doutor ERIXÍMACO
E a palavra tomou
Concordando com PAUSÂNIAS
A respeito do amor
Acrescentou que o deus EROS
Tem grandes e vastos poderes
Não se limita aos homens
Abrange todos os seres

Disse que o grande EROS
É dos contrários à harmonia
Que essa atração oposta
Entre as coisas de valia
Une o corpo e a alma
O úmido ao seco da terra
Paz entre homens e deuses
E felicidade eterna

Chegando a vez de ARISTÓFANES
Falar do deus do amor
Ele não fez elogios
Tão pouco cantou louvor
O que ele falou de EROS
E o porquê de amar
Viera bem do princípio
Do homem o originar

Eram três tipos de humanos
Homem-duplo Mulher-dupla
Também o homem- mulher
Que existiam sem culpa
Por se sentirem completos
Quiseram subir aos céus
E por tanto atrevimento
Foram punidos por ZEUS

ZEUS com sua fúria insana
Ao meio os homens cortou
E é assim que se explica
As histórias de amor
Essa busca alucinante
Atrás da felicidade
Que chega quando se encontra
A nossa outra metade

AGATÃO o anfitrião
Era um poeta astuto
Atribuiu ao deus EROS
Uma porção de atributos
Era o mais belo o mais jovem
O mais perfeito da história
Inspiração e beleza
Dos deuses e homens a glória

É chegada a vez de SÓCRATES
A fala mais esperada
Quis se ausentar do discurso
de uma forma elaborada
Mas os convidados todos
Insistiram bravamente
E o caro colega SÓCRATES
Começou bem paciente

Falou que sobre o amor
Não iria elogiar
Ia usar outro método
Para de EROS falar
E se os presentes da festa
Tivessem grande paciência
Ia tratar da verdade
Buscar de EROS a essência

Ele começou falar
De como EROS nasceu
Filho de PÊNIA a pobreza
Herdou um aspecto seu
A carência e o desejo
“Tá” sempre algo a querer
Seu pai é POROS a riqueza
Dele herdou como fazer
Pra conseguir o que quer
Nem que seja pra perder

Que EROS por ser carente
Quer achar a plenitude
Pra se sentir saciado
Todo cheio de virtude
E pra se sentir completo
Disse assim bem amiúde
Que essa ânsia e ausência
Que invade o coração
É o amor pleno que é
Desejo de perfeição

E o que é perfeição?
Integridade harmonia
A forma plena perfeita
Sem defeito ou avaria
Então a necessidade
Dessa busca incessante
Nos corpos entre a natureza
É porque o amor é
Um desejo de beleza

E onde está a beleza?
Nos corpos que geram filhos
Nas coisas materiais
Imperfeitas ou com brilho?
Na alma no intelecto,
O belo, o uno, o real?
“Cadê” a felicidade?
Será somente aparência?
Ou a verdade do amor
É encontrar sua essência?

Então a ideia do amor é
Desejo das formas belas
E ser idêntico a si mesmo
Pleno, cônscio, sem balela
Sendo o amor intelectual
A busca do inteligível
O desejo de conhecer
O amor à sabedoria
Esse amor pelo saber
É a própria FILOSOFIA

Ao terminar seu discurso
Foi Sócrates elogiado
Pelos presentes e por um
Que chegou embriagado
O bêbado era ALCIBÍADES
Rapaz bonito educado
Que não quis falar de EROS
Alegou estar cansado
Preferiu fazer pra SÓCRATES
Um discurso apaixonado

E foi assim que entendi
Essa obra de PLATÃO
Que o amor nada mais é
Que a busca da perfeição
Que o amor estabelece
Relações entre as pessoas
Que o amor é a verdade
Que o ser perfeito consome
Que é chamado amizade
Esse amor que une os homens

Peço desculpas se não
Consegui passar direito
A história desse deus
Que faz o SER ser perfeito
É porque aprendo aos poucos
E ainda faltam mais anos
Prometo que com o tempo
Buscando a sabedoria
Vou dissertar com mais força
O amor à FILOSOFIA.


Contextualizando:

1-O que é literatura de cordel?

2-Quando surgiu? Relacione o ano ao movimento filosofico.

3-Literatura de Cordel é característica de qual região do Brasil?

4- Nos versos 3 linha-5, fala de um grande  vultos filosófico,  quem foi ele e quais são suas  obras? Qual o tipo de litertura publicava? Pesquise sua biografia. Cite uma frase, pensamento deste autor.

5-Quem foi EROS?

6-Qual o autor de  o “Banquete” versão original. pesquise sua breve biografia.

7-Qual função social da Literatura de Cordel? 

8-Ao ler o poema de Cordel o “Banquete”, relate com suas palavras o que você entendeu e, crie seu “Cordel” sobre o seu banquete. Lembrando que o seu banquete é real e relacionado com seu cotidiano.

Sites para consultas:

Fonte:http://www.pucrs.br/mj/poema-cordel-111.php acesssado em junho de 2011

http://www.infoescola.com/literatura/literatura-de-cordel/

http://www.ablc.com.br/projetos/ciencia/ciencia.htm

http://www.dec.ufcg.edu.br/biografias/MGEros00.html

http://www.mundodosfilosofos.com.br/platao.htm


Responses

  1. sala 201 respostas

    1) É um tipo de poema popular originalmente oral e depois imprenssa em folhetos rústicos ou outra qualidade de papel, expostos para venda, pendurados em cordas ou cordéis, o que deu origem ao nome originando em Portugal que tinha a tradição de pendurar folhetos em barbantes.

    2) Surgiu na Idade Média por volta dos séculos 11 e 12. Com a invenção da imprensa (1450), essa literaturaque até então era oral e recitada por jograis e menestréis ambulantes, passou a ser vendida em folhetos de papel originário e preço barato.

    3) Nordeste do Brasil

    4) Fedro. Suas obras se compõe de 5 livros: ( os dois cães, o cavalo e o javali, o lobo e a cabra, cães famintos, o lobo e o cavalo.)
    * Os dois primeiros apareceram juntos;
    * O terceiro foi dedicado a Euticus, que era seu amigo;
    * O quarto livro dedicou a Paticulon;
    * E o quinto,se supõe que escreveu durante o reino de Nerón.
    Fedro era fabulista, publicava fábulas. Diz-se que viveu entre os anos 10 e 70 de nossa época. Em geral sua vida foi conhecida por suas obras. Fedro nasceu em Macedônia era filho de um escravo que ganhou liberdade para si e sua família. Ele recebeu uma boa educação, e quando jovem se mudou pra Roma, onde dedicou á poesia. Ele introduziu a fábula á literatura latina e conseguiu dar a esta um caráter que anteriormente não tinha. Fedro sempre se esforçava em dizer as coisas da forma mais breve e clara possível enquanto utilizava uma linguagem bastante complicada. Em geral, Fedro foi pouco conhecido na antiguidade, até chegar na Idade Média, que quando exerceu uma influência considerável. Frase de Fedro: ” O fraco, quando quer imitar o poderoso, perece”.

    5) Eros: deus grego do amor, conhecido como cupido (cupido= amor em latim).

    6) Platão. Um dos filósofos que mais influenciou a cultura ocidental, Platão, cujo nome verdadeiro é Aristóteles, nasceu de uma família rica, envolvida com políticos. Muitos estudiosos de sua obra dizem que o grego ficou conhecido como Platão por causa de seu vigor físico e ombros largos (”platos” significa largueza). Ainda na juventude, tornou-se discípulo de Sócrates, com quem conviveu durtante 8 anos, iniciando-se na filosofia. A atividade literária do filósofo grego compreende mais de 50 anos de sua vida: desde a morte de Sócrates até a sua morte.

    7) São meios de comunicação, diversão e propagação de conhecimento para seus autores e seus leitores.

    8) No cordel de o ”banquete” usa-se rimas para dar mais ênfase. E em relação ao banquete Platão fala de amor usando ”macetes”.
    Em um dia quente,
    Realizei meu banquete,
    O qual tinha muitas guloseimas,
    Frutas e até sorvete.

    Recebi vários convidados,
    Amigos, colegas e parentes,
    E que por algum motivo me levaram presentes,
    Deixando-me assim muito contente.

    Nada melhor do que várias pessoas,
    Alegres e sorridentes,
    Transmitindo uma sensação
    Boa ao ambiente.

    Algumas pessoas que convidei,
    Estavam ausentes, deram desculpas,
    Por não poderem comparecer,
    Mas que da próxima vez estariam presentes.

    Mesmo por ter faltado muita gente,
    Pude aproveitar este banquete.
    E encerro aqui e agora mesmo
    Este cordel alegremente.

    =D….

    • 1) Cordel é um tipo de poema. No começo era repassado de maneira oral, e depois foi impresso em folhetos, expostos para venda pendurados em cordas ou cordéis, o que deu origem ao nome.

      2) Por volta dos séculos 11 e 12.

      3) Nordeste.

      4)Fedro foi um grande fabulista romano, nascido na Macedônia, Grécia. Fedro enriqueceu a literatura; suas fábulas não eram escritas e sim transmitidas oralmente, serviam de aprendizagem. Obras: A rã e o boi; A raposa e o cacho de uva; O cão e o seu reflexo no rio; O cavalo e o Javali; O galo e a pérola; O homem que foi mordido por um cão; O lobo e o cordeiro; Os cães esfomeados; Prefação das fábulas. Frase: “Muitas vezes descobre-se que aquilo que se despreza vale mais do que aquilo que se exalta”.

      5) Deus grego do amor. Filho de Afrodite, andava com um arco e flechas e desparava no coração de deuses e/ou humanos.

      6) Platão nasceu em Atenas, em 428 a.c, de pais aristocráticos e abastados, da antiga e nobre prosápia. Discípulo de Sócrates. Fundou uma escola. Interessava-se por política.

      7) Desenvolver a consciência crítica do cidadão e possibilitar o alcance de novas perspectivas sociais e culturais.

      8) No meu banquete
      Podemos encontrar
      Comidas gostosas
      Para almoçar

      Bolo, sorvete e brigadeiro
      Comer doce sem parar
      Mas com muito cuidado
      Para não engordar

      Temos que ter a hora
      De comer verduras e frutas
      Mas pode deixar espaço
      Para comer aquela trufa

      Sempre com moderação
      Preste bem atenção!
      Comer demais sem exercitar
      Não dá bom resultado não

      Agora paro por aqui
      Obrigada pela atenção
      Mas já estou atrasada
      Para o meu café com pão!

  2. 1- A literatura de cordel, é em linhas gerais, a poesia popular impressa e herdeira do romanceiro tradicional, da literatura oral (em especial dos contos populares, com predominância dos contos de encantamento). É um tipo de poema popular.

    2- A origem do nome “Literatura de Cordel” está em folhetos de impressão precária e expostos à venda pendurados em varais de barbante. O nome vem de Portugal, onde esse tipo de folheto de literatura popular também era produzido. Também eram encontrados em países como Espanha, França, Itália e Alemanha.

    Esse tipo de folheto surgiu na Idade Média, por volta dos séculos 11 e 12. Com a invenção da imprensa (1450).

    3- Sertão do nordeste

    4-Fedroe suas obras se compõe de 5 livros: os dois cães, o cavalo e o javali, o lobo e a cabra, cães famintos, o lobo e o cavalo.
    Fedro (30/15 a.C. – 44/50 d.C.) foi um fabulista romano nascido na Macedônia, Grécia. Filho de escravos, provavelmente foi alforriado pelo imperador romano Augusto.
    Quando iniciou-se na literatura, tentou enriquecer estilisticamente muitas fábulas de Esopo, pois a maioria delas não era escrita, mas transmitidas oralmente. Deste modo, Fedro, redigia suas fábulas, normalmente sérias ou satíricas, tratando das injustiças, dos males sociais e políticos, expressando as atitudes dos fortes e oprimidos, mas ocasionalmente breves e divertidas, explicando-nos, todavia, porque teve tanto sucesso, séculos depois, pela sua simplicidade, na Idade Média.

    5-Eros aparece pela primeira vez na Teogonia de Hesíodo, que o descreve como o mais belo dos imortais, capaz de subjugar corações e triunfar sobre o bom senso.Deus grego do amor e do desejo, Eros encerrava, na mitologia primitiva, significado mais amplo e profundo.

    6-Platão, foi um filósofo e matemático do período clássico da Grécia Antiga, autor de diversos diálogos filosóficos e fundador da Academia em Atenas, a primeira instituição de educação superior do mundo ocidental. Juntamente com seu mentor, Sócrates, e seu pupilo, Aristóteles, Platão ajudou a construir os alicerces da filosofia natural, da ciência e da filosofia ocidental.Acredita-se que seu nome verdadeiro tenha sido Arístocles; Platão era um apelido que, provavelmente, fazia referência à sua característica física, tal como o porte atlético ou os ombros largos, ou ainda a sua ampla capacidade intelectual de tratar de diferentes temas, entre eles a ética, a política, a metafísica e a teoria do conhecimento.

    7-São meios de comunicação, diversão e propagação de conhecimento para seus autores e seus leitores.

    8- No cordel de o ”banquete” fala de filosofos e do dia a dia, do amor.

    ” no dia-a-dia do meu banquete”

    Eu vim falar do meu cotidiano
    com a cabeça esclarecida
    de modo divertido e com planos
    e no cordel eu vim falar da vida

    No meu banquete estou ensaiando
    com a mente erguida e divertida
    viverei feliz e cantando
    o quanto feliz é a vida

    e no dia-a-dia vivenciando
    indo e vindo
    com os olhos vivos e brilhando
    vejo com o coração

    Uma grande paixão se aproximando
    as vezes me confundo
    mais sinto algo se incendiando
    ao lado do meu peito profundo

  3. TURMA:201

    1-É um tipo de poema popular,originalmente oral,e depois impressa em folhetos rústicos ou outra qualidade de papel,expostos para venda pendurados em cordas ou cordéis,o que deu origem ao nome originado em Portugal,que tinha a tradição de pendurar folhetos em barbantes.São escritos em forma rimada e alguns poemas são ilustrados com xilogravuras,o mesmo estilo de gravura usado nas capas.As estrofes mais comuns são as de dez,oito ou seis versos.Os autores,ou cordelistas,recitam esses versos de forma melodiosa e cadenciada acompanhados de viola,como também fazem leituras ou declamações muito empolgadas e animadas para conquistar os possíveis compradores.

    2-A história da literatura de cordel começa com o romanceiro luso-espanhol da Idade Média e do Renascimento.O nome cordel está ligado á forma de comercialização desses folhetos em Portugal,onde eram pendurados em cordões ,chamados de cordéis.Inicialmente,
    eles também continham peças de teatro,como as de autoria de Gil Vicente(1465-1536).Foram os portugueses que introduziram o cordel no Brasil desde o início da colonização.Na segunda metade do século XIX começaram as impressões de folhetos brasileiros,
    com suas características próprias.Os temas incluem fatos do cotidiano,episódios históricos,lendas,temas religiosos,entre muitos outros.As façanhas do cangaceiro Lampião(Virgulino Ferreira da Silva,1900-1938)e o suícidio do presidente Getúlio Vargas(1883-1954)são alguns dos assuntos dos cordéis que tiveram maior tiragem no passado.Não há limite para criação de temas dos folhetos.Praticamente todo e qualquer assunto pode virar cordel na mãos de um poeta competente.

    3-No Brasil,a litetura de cordel é produçao típica do Nordeste,
    sobretudo nos estados de Pernambuco,Paraíba,Rio Grande do Norte e Ceará.Costumava ser vendida em mercados e feiras pelos próprios autores.Hoje também se faz presente em outros estados, como Rio de Janeiro,Minas Gerais e São Paulo.O cordel hoje é vendido em feiras culturais,casas de cultura,livrarias e nas apresentações dos cordelistas.

    4-Fedro,foi um fabulista romano nascido na Macedônia,Grécia.Filho de escravos,provavelmente foi alforriado pelo imperador romano Augusto.Seu nome completo era Caio Júlio Fedro.A fábula,por ser uma pequena narrativa,serve para ilustrar algum vício ou alguma virtude e termina,invariavelmente,com uma lição de moral.A grande maioria das fábulas retratam personagens como animais ou criaturas imaginárias(criaturas fabulosas),que representam de forma alegórica os traços de caráter(negativos e positivos)de seres humanos.Coube a Fedro,quando iniciou-se na literatura,enriquecer estilisticamente muitas fábulas de Esopo,todas não escritas,mas transmitidas oralmente,isto é,serviam de aprendizagem,fixação e memorização dos valores morais do grupo social.Suas obras são principalmente:Os dois cães;O cavalo e o javali;O lobo e a cabra;Cães famintos;O lobo e o cavalo.Ambas todas são fábulas.Uma frase seria:”O fraco,quando quer imitar o poderoso,perece.”

    5-Deus grego do amor,também conhecido como Cupido,Amor em latim,que apesar de sua excepcional beleza ser altamente valorizada pelos gregos,seu culto tinha modesta importância.Era filho de AFRODITE e seu companheiro constante e com seu arco ele disparava flechas de amor nos corações dos deuses e dos humanos.Sua mãe havia sentido ciúme de Psiquê,cuja beleza causava tumulto por onde ela passasse.A deusa ordenou que ele fizesse com que Psiquê se apaixonasse por alguma pessoa de nível muito baixo.Ele a encontrou enquanto ela dormia e,como acabou acordando-a ao tocá-la com uma de suas flechas,ficou tão maravilhado por sua beleza que,acidentalmente,aranhou a si mesmo com a flecha e se apaixonou por ela.Levou-a dali para bem longe,para um maravilhoso palácio e ia visitá-la todas as noites.Sem nenhuma ajuda visível todos os desejos de Psiquê eram cumpridos.
    Durante muito tempo,ela não havia olhado para o seu amado,pois este lhe tinha proibido de olhá-lo,uma vez que ele queria que o amasse,como humano,e não como um deus.

    6-Platão.Este importante filósofo grego nasceu em Atenas,provavelmente em 427 a.C e morreu em 347 a.C; É considerado um dos principais pensadores gregos,pois influenciou profundamente a filosofia ocidental.Suas ideias baseiam-se na diferenciação do mundo entre as coisas sensíveis(mundo das ideias e inteligência)e as coisas visíveis(seres vivos e a matéria).Filho de uma família de aristocratas,começou seus trabalhos filosóficos após estabelecer contato com outro importante pensador grego:Socrátes
    Platão torna-se seguidor e discípulo de Socrátes.Em 387a.C,fundou a Academia,uma escola de filosofia com o propósito de recuperar e desenvolver as ideias e pensamentos socráticos.Convidado pelo rei Dionísio,passa um bom tempo em Siracusa,ensinando filosofia na corte.Ao voltar para Atenas passa a administrare comandar a Academia,destinando mais energia no estudo e na pesquisa em diverdas áreas do conhecimento:ciências,matemática,retórica(arte de falar em público),além da filosofia.Suas obras mais importantes e conhecidas são:Apologia de Socrátes,em que valoriza os pensamentos do mestre;O Banquete,fala sobre o amor de uma dialética;e A República,em que analisa a política grega,a ética,o funcionamento das cidades,a cidadania e questões sobre a imortalidade da alma.

    7-Desenvolver a consciência crítica do cidadão e possibiliar o alcance
    de novas perspectivas sociais e culturais por meio da leitura e da compreensão dos valores da cultura popular e dos saberes do povo.
    Além dos meios de comunicação e ideias pessoais de cada autor e leitor possivelmente.

    8-No cordel de o ”Banquete” usa-se mais rimas para dar mais destaque a homenagem á EROS.O acontecimento de o Banquete foi
    mais uma festa.E em questão com relação á isso Platão falva de amor usando ”palavras especiais”através dos convidados que se localizavam no local.

    MEU CORDEL

    TITÚLO:A reunião para meu banquete

    Em um dia bem quente
    Reuni meus amigos e parentes
    Com a grande expectativa
    De realizar o meu banquete.

    Nada melhor do que começar
    Com uma bebida gelada para
    Refrescar toda aquela gente
    Que naquele dia se fazia presente.

    Depois mandei preparar
    Aquele caviar que todos
    Estavam ansiosos a esperar
    Para poderem almoçar.

    Com isso todos se alimentaram
    Sem largar nada no prato
    E dois além disso nem
    A sobremesa perdoaram.

    Assim que todos comeram,
    Eles me agradeceram por ter
    Feito algo tão gostoso e me
    falaram que o banquete foi maravilhoso.

  4. “Respostas das perguntas anteriores”

    1) É um tipo de poema popular originalmente oral e depois imprenssa em folhetos rústicos ou outra qualidade de papel, expostos para venda, pendurados em cordas ou cordéis, o que deu origem ao nome originando em Portugal que tinha a tradição de pendurar folhetos em barbantes.

    2) Surgiu na Idade Média por volta dos séculos 11 e 12. Com a invenção da imprensa (1450), essa literatura que até então era oral e recitada por jograis e menestréis ambulantes, passou a ser vendida em folhetos de papel originário e preço barato.

    3) É produção típica do Nordeste, sobretudo nos estados de Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e do Ceará. Hoje também se faz presença em outros estados, como Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo.

    4) Fedro. Suas obras se compõe de 5 livros: os dois cães, o cavalo e o javali, o lobo e a cabra, cães famintos, o lobo e o cavalo.
    Fedro era fabulista, publicava fábulas. Diz-se que viveu entre os anos 10 e 70 de nossa época. Em geral sua vida foi conhecida por suas obras. Fedro nasceu em Macedônia era filho de um escravo que ganhou liberdade para si e sua família. Ele recebeu uma boa educação, e quando jovem se mudou pra Roma, onde dedicou á poesia. Ele introduziu a fábula á literatura latina e conseguiu dar a esta um caráter que anteriormente não tinha. Fedro sempre se esforçava em dizer as coisas da forma mais breve e clara possível enquanto utilizava uma linguagem bastante complicada. Em geral, Fedro foi pouco conhecido na antiguidade, até chegar na Idade Média, que quando exerceu uma influência considerável. Frase de Fedro: ” O fraco, quando quer imitar o poderoso, perece”.

    5) Eros: deus grego do amor, conhecido como cupido (cupido= amor em latim).

    6) Platão. Um dos filósofos que mais influenciou a cultura ocidental, Platão, cujo nome verdadeiro é Aristóteles, nasceu de uma família rica, envolvida com políticos. Muitos estudiosos de sua obra dizem que o grego ficou conhecido como Platão por causa de seu vigor físico e ombros largos (”platos” significa largueza). Ainda na juventude, tornou-se discípulo de Sócrates, com quem conviveu durtante 8 anos, iniciando-se na filosofia. A atividade literária do filósofo grego compreende mais de 50 anos de sua vida: desde a morte de Sócrates até a sua morte.

    7) São meios de comunicação, diversão e propagação de conhecimento para seus autores e seus leitores.

    No cordel de o ”banquete” usa-se rimas para dar mais ênfase. E em relação ao banquete Platão fala de amor usando ”macetes”. Platão fala de um amor através dos convidados que estavam no banquete.

    ” O dia do banquete”

    Para começar este banquete
    convidei o presidente
    que não compareceu
    e fiquei assim descontente.

    Estava animado com o jantar
    então preparei um manjar
    e chamei outras pessoas
    para saborear.

    Faltava a bebida para tomar
    e o que colocar ?
    então pensei no vinho
    para degustar.

    No final de tudo
    todos gostaram
    até os papudos
    não reclamaram.

  5. 1) Literatura de cordel é um tipo de poema popular, originalmente oral, e depois impressa em folhetos rústicos ou outra qualidade de papel, expostos para venda pendurados em cordas ou cordéis, o que deu origem ao nome originado em Portugal, que tinha a tradição de pendurar folhetos em barbantes.

    2) Surgiu na Idade Média por volta dos séculos 11 e 12. Com a invenção da imprensa (1450), essa literaturaque até então era oral e recitada por jograis e menestréis ambulantes, passou a ser vendida em folhetos de papel originário e preço barato.

    3) Nordeste do Brasil.

    4) Fabulista latino, liberto de Augusto, de seu nome Phaedrus ou Phaeder. São conhecidas algumas dezenas de fábulas da sua autoria, escritas com maestria em verso jâmbico. Fedro foi um autor especialmente apreciado ao longo da Idade Média.
    Obras:Os dois cães, O cavalo e o javali, O lobo e a cabra, Cães famintos, O lobo e o cavalo.
    Frase de fedro: “Muitas vezes há mais bom senso numa única pessoa do que numa multidão.”

    5) Eros: Deus grego do amor, também conhecido como Cupido, Amor em latim, que apesar de sua excepcional beleza ser altamente valorizada pelos gregos, seu culto tinha modesta importância.

    6) Um dos filósofos que mais influenciaram a cultura ocidental, Platão, cujo nome verdadeiro era Aristócles, nasceu de uma família rica, envolvida com políticos. Muitos estudiosos de sua obra dizem que o grego ficou conhecido como Platão por causa do seu vigor físico e ombros largos (“platos” significa largueza). A excelência na forma física era muito apreciada na Grécia antiga e os seus “diálogos” estão repletos de referências às competições esportivas.
    Ainda na juventude, tornou-se discípulo de Sócrates, com quem conviveu durante oito anos, iniciando-se na filosofia.
    Platão teve uma educação semelhante à dos jovens aristocratas da sua época, recebendo aulas de retórica, música, matemática e ginástica.

    7) Desenvolver a consciência crítica do cidadão e possibilitar o alcance
    de novas perspectivas sociais e culturais por meio da leitura e da
    compreensão dos valores da cultura popular e dos saberes do povo.
    Educar…Libertar…Criticar…Transmutar…Revolucionar…Fazer
    alquimagia com o ser e com a linguagem…Liberar para o mais
    elevado…Evoluir o ser social para novos paradigmas sociais e
    poéticos…

    8) Banquete do amor

    No meu banquete
    vou falar de amor
    quem quiser ouvir
    sente-se ao meu lado no tamburete.

    O amor é como uma refeição
    com entradas, pratos principais
    e temperos fortes
    que preenche o coração.

    Quando se está apaixonado
    os beijos são sobremesa
    para dois corações
    que não querem ser separados.

    Se a traição vem
    é uma comida muito amarga,
    pessoas se lamentam
    e pedem conselhos a alguém.

    A intensa paixão
    tempera todos os pratos,
    doces ou salgados,
    afrodisíacos ou não.

    Se a sobremesa vem no final,
    aqui, nesse banquete,
    a qualquer momento
    ela é especial.

    Meu banquete vou encerrando,
    bom apetite e até logo,
    a todos os leitores
    que estão se amando.

  6. Turma 201

    1) Literatura de cordel é um tipo de poema popular, originalmente oral, e depois impressa em folhetos rústicos ou outra qualidade de papel, expostos para venda pendurados em cordas ou cordéis, o que deu origem ao nome originado em Portugal, que tinha a tradição de pendurar folhetos em barbantes.

    2) Surgiu na Idade Média, por volta dos séculos 11 e 12. Com a invenção da imprensa (1450), essa literatura que até então era oral e recitada por jograis e menestréis ambulantes, passou a ser vendida em folhetos de papel ordinário e preço barato.

    3) Nordeste do Brasil .

    4) Fedro (30/15 a.C. – 44/50 d.C.) foi um fabulista romano nascido na Macedônia, Grécia. Filho de escravos, provavelmente foi alforriado pelo imperador romano Augusto.Quando iniciou-se na literatura, tentou enriquecer estilisticamente muitas fábulas de Esopo, pois a maioria delas não era escrita, mas transmitidas oralmente. Deste modo, Fedro, redigia suas fábulas, normalmente sérias ou satíricas, tratando das injustiças, dos males sociais e políticos, expressando as atitudes dos fortes e oprimidos, mas ocasionalmente breves e divertidas, explicando-nos, todavia, porque teve tanto sucesso, séculos depois, pela sua simplicidade, na Idade Média.
    Publicou cinco livros de fábulas esópicas, com prováveis alusões aos acontecimentos de sua vida,( os dois cães, o cavalo e o javali, o lobo e a cabra, cães famintos, o lobo e o cavalo.)
    Frase de Fredo :
    * Ninguém volta de bom grado a um lugar onde foi maltratado.

    5) Deus grego do amor e do desejo.

    6) Platão. Um dos filósofos que mais influenciou a cultura ocidental, Platão, cujo nome verdadeiro é Aristóteles, nasceu de uma família rica, envolvida com políticos. Muitos estudiosos de sua obra dizem que o grego ficou conhecido como Platão por causa de seu vigor físico e ombros largos (”platos” significa largueza). Ainda na juventude, tornou-se discípulo de Sócrates, com quem conviveu durtante 8 anos, iniciando-se na filosofia. A atividade literária do filósofo grego compreende mais de 50 anos de sua vida: desde a morte de Sócrates até a sua morte.

    7) São meios de comunicação, diversão e propagação de conhecimento para seus autores e seus leitores. No cordel de o ”banquete” usa-se rimas para dar mais ênfase. E em relação ao banquete Platão fala de amor usando ”macetes”.

    8) Banquete do amor

    O sol já vem surgindo
    Como uma fome de leão
    Um remelexo minuncioso
    Um abraço bem gostoso
    Com o aconchego do coração.

    Na varanda fica a moça
    Esperando seu amado
    Na sintonia de temperos
    Com seu corpo fustigado
    Na esperança de um beijo apaixonado.

    A criança que brincava
    Procurava sensações
    Imitava a comida
    Em doces alegrias
    De pipocas e balões.

    O cheirinho da panela
    Ecoava na janela
    Saia pelas frestas
    Procurava a donzela
    Em cores e amores.

    O caminhar do relógio
    Indicava a procura
    De uma gostosa aventura
    Que pairava no ar
    Intrigava o olhar.

    Com um olhar de caipira
    Espiava a harmonia
    Entre calores e frescores
    Da pimenta ao salgado
    Do romance ao inusitado

    Um abraço roubado
    De um calor enesperado
    Das fagulhas do fogão
    De uma singela refeição
    A procura da razão.

    Se é verdade, ou mentira
    Nem sei, nem quero saber
    Se amei, ou fui amado
    Dei um beijo assaltado
    Se casei ou fui casado.

    Na fartura da comida
    No caminhar da poesia
    De um site de amor
    Encontrei o seu olhar
    Em uma forma de amar.

    Banquetes posso fazer
    Receitas inventar
    Num saberei como procurar
    No balanço do mundo
    Um amor pra te conquistar.

  7. 1-O que é literatura de cordel?

    A literatura de cordel é um tipo de poesia popular, originalmente oral, e depois impressa em folhetos rústicos expostos para venda pendurados em cordas ou cordéis, o que deu origem ao nome. São escritos em forma rimada e alguns poemas são ilustrados com xilogravuras, o mesmo estilo de gravura usado nas capas. As estrofes mais comuns são as de dez, oito ou seis versos. Os autores, ou cordelistas, recitam esses versos de forma melodiosa e cadenciada, acompanhados de viola.

    2-Quando surgiu? Relacione o ano ao movimento filosofico.

    A literatura de cordel surgiu na metade do século 19, no Nordeste, para relatar ao sertanejo iletrado os mitos da cultura local e de fora, de forma épica, cantante e fácil de decorar por quem não sabia ler.

    3-literatura de Cordel é característica de qual região do Brasil?

    Nordeste

    4- Nos versos 3 linha-5, fala de um grande vultos filosófico, quem foi ele e quais são suas obras? Qual o tipo de literatura publicava? Pesquise sua biografia. Cite um frase, pensamento deste autor.

    Foi fabulista romano, nascido em Macedônia, filho de escravos. A fabula, por ser uma pequena narrativa, serve para ilustrar algum vicio ou virtude. Suas obras são fabulas. Uma frase: O fraco, quando quer imitar o poderoso, parece.

    5- Quem foi EROS?

    Eros: deus grego do amor, conhecido como cupido (cupido= amor em latim).

    6-Qual o autor de o “Banquete” versão original. Pesquise sua breve biografia.

    Platão, foi um filósofo e matemático do período clássico da Grécia Antiga, autor de diversos diálogos filosóficos e fundador da Academia em Atenas, a primeira instituição de educação superior do mundo ocidental. Juntamente com seu mentor, Sócrates, e seu pupilo, Aristóteles, Platão ajudou a construir os alicerces da filosofia natural, da ciência e da filosofia ocidental. Acredita-se que seu nome verdadeiro tenha sido Arístocles; Platão era um apelido que, provavelmente, fazia referência à sua característica física, tal como o porte atlético ou os ombros largos, ou ainda a sua ampla capacidade intelectual de tratar de diferentes temas, entre eles a ética, a política, a metafísica e a teoria do conhecimento.

    7-Qual função social da Literatura de Cordel?

    São meios de comunicação, diversão e propagação de conhecimento para seus autores e seus leitores.
    8-Ao ler o poema de Cordel o “Banquete”, relate com suas palavras o que você entendeu e, crie seu “Cordel” sobre o seu banquete. Lembrando que o seu banquete é real e relacionado com seu cotidiano.

    No “Banquete” de Platão, era uma festa ae ele usou de amor usando palavras especiais atraves de convidados que lá estavam. Usa-se muitas rimas para dar o sentido geral no cordel.

    DELICIOSO BANQUETE

    Num dia frio,
    Resolvi fazer um banquete,
    Chamar muita gente e
    Espantar o frio de um jeito diferente.

    Convidados chegaram,
    Todos se deliciavam e
    Tiravam todo o frio
    Que ali estava presente.

    Tão bom um leite quente,
    Cafezinho, chazinho e
    Principalmente um delicioso
    Chocolate quente.

    Todos se foram sorridentes,
    Cantando alegremente,
    Depois de um delicioso banquete
    Que espantou todo frio que estava presente.

  8. 1) É poesia popular,é história contada em versos,em estrofes a rimar, escrita em papel comum, feita pra ler ou cantar.

    2) Surgiu na Idade Média por volta dos séculos XI e XII . Com a invenção da imprensa (1450), essa literatura que até então era oral e recitada por jograis e menestréis ambulantes, passou a ser vendida em folhetos de papel originário e preço barato.

    3) Nordeste do Brasil

    4) Fedro. Suas obras se compõe de 5 livros: ( os dois cães, o cavalo e o javali, o lobo e a cabra, cães famintos, o lobo e o cavalo.)
    * Os dois primeiros apareceram juntos;
    * O terceiro foi dedicado a Euticus, que era seu amigo;
    * O quarto livro dedicou a Paticulon;
    * E o quinto,se supõe que escreveu durante o reino de Nerón.
    Fedro era fabulista, publicava fábulas. Diz-se que viveu entre os anos 10 e 70 de nossa época. Em geral sua vida foi conhecida por suas obras. Fedro nasceu em Macedônia era filho de um escravo que ganhou liberdade para si e sua família. Ele recebeu uma boa educação, e quando jovem se mudou pra Roma, onde dedicou á poesia. Ele introduziu a fábula á literatura latina e conseguiu dar a esta um caráter que anteriormente não tinha. Fedro sempre se esforçava em dizer as coisas da forma mais breve e clara possível enquanto utilizava uma linguagem bastante complicada. Em geral, Fedro foi pouco conhecido na antiguidade, até chegar na Idade Média, que quando exerceu uma influência considerável. Frase de Fedro: “Para que se pense que são sábios, eles criticam até o céu.”

    5) Eros: deus grego do amor, conhecido como cupido

    6) Platão. Um dos filósofos que mais influenciou a cultura ocidental, Platão, cujo nome verdadeiro é Aristóteles, nasceu de uma família rica, envolvida com políticos. Muitos estudiosos de sua obra dizem que o grego ficou conhecido como Platão por causa de seu vigor físico e ombros largos (”platos” significa largueza). Ainda na juventude, tornou-se discípulo de Sócrates, com quem conviveu durante oito anos, iniciando-se na filosofia. A atividade literária do filósofo grego compreende mais de 50 anos de sua vida: desde a morte de Sócrates até a sua morte.

    7) São meios de comunicação, diversão e propagação de conhecimento para seus autores e seus leitores.

    8) Meu banquete
    Num dia ensolarado
    Meu banquete aconteceu
    Do nada foi marcado
    Na casa do tio Romeu.

    Tinha gente bonita e vistosa
    Pessoas sorridentes
    Todos admiravam a casa maravilhosa
    E comentavam contentes

    Comiam e apreciavam
    As belezuras que eram servidas
    E eu alegre recebia os que chegavam
    Algumas pessoas já se iam agradecidas.

    E assim foi a minha tarde agradável
    Em família e entre amigos
    Me senti uma pessoa responsável
    E relembrei tempos antigos

    Meu banquete ficará na memória
    E também no meu coração
    Contarei aos meus filhos essa bela história
    De aventuras e emoção.

  9. Queridas e queridos do 201.

    Literuatura de Cordel retrata um povo, uma época, origem, raizes… Fedro foi um fabulista que nos falou na subjetividade verdade e valores como:
    “O homem instruído tem as riquezas dentro de si.”

    Parafraseando a Adrielle deixo aqui meu verso de Cordel.

    O Banquete da Saudade…

    Meu banquete deixará saudades de fome literária
    a todos os alunos do Colégio Tiradentes que ficarão
    para sempre na minha vida e no meu coração…
    obrigada pela participação…

    Dou por encerrada esta atividade -Literatura de Cordel.

    Um abraço de LUZ

    Profa. Magna Aspásia

  10. 1-O que é literatura de cordel?

    É um tipo de poema popular,originalmente oral,e depois impressa em folhetos rústicos ou outra qualidade de papel,expostos para venda pendurados em cordas ou cordéis,o que deu origem ao nome originado em Portugal,que tinha a tradição de pendurar folhetos em barbantes.São escritos em forma rimada e alguns poemas são ilustrados com xilogravuras,o mesmo estilo de gravura usado nas capas.As estrofes mais comuns são as de dez,oito ou seis versos.Os autores,ou cordelistas,recitam esses versos de forma melodiosa e cadenciada acompanhados de viola,como também fazem leituras ou declamações muito empolgadas e animadas para conquistar os possíveis compradores.

    2-Quando surgiu? Relacione o ano ao movimento filosofico.

    Surgiu na Idade Média por volta dos séculos 11 e 12. Com a invenção da imprensa (1450), essa literaturaque até então era oral e recitada por jograis e menestréis ambulantes, passou a ser vendida em folhetos de papel originário e preço barato.

    3-Literatura de Cordel é característica de qual região do Brasil?

    Nordeste do Brasil

    4- Nos versos 3 linha-5, fala de um grande vultos filosófico, quem foi ele e quais são suas obras? Qual o tipo de litertura publicava? Pesquise sua biografia. Cite uma frase, pensamento deste autor.

    Fedro (30/15 a.C. – 44/50 d.C.) foi um fabulista romano nascido na Macedônia, Grécia. Filho de escravos, provavelmente foi alforriado pelo imperador romano Augusto.

    Quando iniciou-se na literatura, tentou enriquecer estilisticamente muitas fábulas de Esopo, pois a maioria delas não era escrita, mas transmitidas oralmente. Deste modo, Fedro, redigia suas fábulas, normalmente sérias ou satíricas, tratando das injustiças, dos males sociais e políticos, expressando as atitudes dos fortes e oprimidos, mas ocasionalmente breves e divertidas, explicando-nos, todavia, porque teve tanto sucesso, séculos depois, pela sua simplicidade, na Idade Média.

    Fabulista da época dos Imperadores Tibério e Calígula, nos primeiros séculos da era cristã, e seguidor de Esopo, Fedro fez a sátira dos costumes e personagens da época. Por isso, com o grande incômodo que causaram as suas críticas, acabou sendo exilado. Em literatura, tudo o que era espontâneo se considerava medíocre. Foi o único poeta do império de Tibério. Publicou cinco livros de fábulas esópicas, com prováveis alusões aos acontecimentos de sua vida.

    ”Nem sempre as coisas são como parecem.”

    5-Quem foi EROS?

    Deus grego do amor, também conhecido como Cupido, Amor em latim, que apesar de sua excepcional beleza ser altamente valorizada pelos gregos, seu culto tinha modesta importância.

    6-Qual o autor de o “Banquete” versão original. pesquise sua breve biografia.

    Platão.
    (Filósofo grego)
    427 AC, Atenas
    347 AC, Atenas
    Um dos filósofos que mais influenciaram a cultura ocidental, Platão, cujo nome verdadeiro era Aristócles, nasceu de uma família rica, envolvida com políticos. Muitos estudiosos de sua obra dizem que o grego ficou conhecido como Platão por causa do seu vigor físico e ombros largos (“platos” significa largueza). A excelência na forma física era muito apreciada na Grécia antiga e os seus “diálogos” estão repletos de referências às competições esportivas.
    Ainda na juventude, tornou-se discípulo de Sócrates, com quem conviveu durante oito anos, iniciando-se na filosofia. Depois de acompanhar todo o processo que condenou o seu mestre (Sócrates, acusado de corromper a juventude e de não acreditar nos “deuses”, foi obrigado a beber o veneno cicuta, que o levaria à morte), Platão, desiludido com a democracia ateniense, viaja para outras cidades da Grécia, Egito e sul da Itália, e começa a escrever.

    7-Qual função social da Literatura de Cordel?

    Desenvolver a consciência crítica do cidadão e possibiliar o alcance
    de novas perspectivas sociais e culturais por meio da leitura e da compreensão dos valores da cultura popular e dos saberes do povo.
    Além dos meios de comunicação e ideias pessoais de cada autor e leitor possivelmente.

    8-Ao ler o poema de Cordel o “Banquete”, relate com suas palavras o que você entendeu e, crie seu “Cordel” sobre o seu banquete. Lembrando que o seu banquete é real e relacionado com seu cotidiano.

    o banquete dos sentimentos

    O dia já amanheceu
    Quero o maior dos banquetes
    Uma dádiva do céu
    Dos sentimentos mais diferentes

    Dos sentimentos vou falar
    Do coração apaixonado
    Ao amor quero me lançar
    Com meu coração desesperado

    Quero apenas um romance
    Que me de todo o seu amor
    Ou ao menos uma chance
    E que não me traga dor

    Sai à procura desse amor e
    Quando cheguei o coração me mostrou
    Da dúvida que nada restou
    O coração que se apaixonou

    Entre os sinais dos olhares
    O tempo abraça o coração
    Que agradece pelo carinho
    E se entrega a aquela paixão.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: