Publicado por: masfg | setembro 30, 2016

ATIVIDADES RELAIZADAS PELO PROFª OSANA,NA ESCOLA MUNICIPAL FREI EUGÊNIO-ARTHUR DE MELLO TEIXEIRA

ATIVIDADE REALIZADA PELA PROFª OSANA,ELOÁ, MÁRCIA,RENATA FORMIGA COM TURMAS DO 9º ANO,DAS ESCOLAS ARTHUR DE MELLO TEIXEIRA,FREI EUGENIO.

 

Plano de Aula

 

Dados de identificação

 

Curso: Gestar II Série: 9º ano

Conteúdo: Português

Data: 30/09/2009 Tempo previsto: 02 aulas

Local: sala de aula e laboratório de informática

Professora: Elaine C Cunha

Eloá M. Cardoso

Márcia O. Oliveira

Osana Maria Leal Silva

Renata Formiga do Nascimento

 

EMENTA

 

A influência da mídia televisiva nos adolescentes.

 

 

OBJETIVOS:

 

  • Entrelaçar vivências do cotidiano com o meio acadêmico através da mídia televisiva;
  • Despertar no aluno a influência da televisão no seu cotidiano.

 

 

CONTEÚDOS:

 

A empresa televisiva para existir e se manter tem como produto principal de venda a “propaganda”.

 

PROCEDIMENTOS:

 

Apresentação:

 

  • Instigar os alunos com questionamentos orais sobre sua relação com a televisão.
  • Qual o programa de televisão preferido dos alunos.
  • Quanto tempo o educando assiste televisão por dia.
  • Qual a emissora favorita dos alunos e por quê?
  • Qual (is) a (s) propaganda (s) que o (s) aluno (s) mais gosta e por quê?
  • Qual (is) a (s) propaganda (s) que o (s) aluno (s) menos gosta e por quê?
  • Os alunos assistirão algumas propagandas veiculadas na mídia televisiva selecionadas pelas professoras.

 

Desenvolvimento:

 

    • Agrupar os alunos em equipes de 4 componentes para desenvolver as propostas sugeridas.

 

 

Integração:

 

      • Sugerir às equipes que escolham a propaganda de sua preferência par que possam analisá-la.
      • Socializar com a classe a propaganda analisada por cada equipe.

 

 

RECURSOS:

 

Laboratório de informática e/ou data show para assistir as propagandas.

 

 

AVALIAÇÃO:

 

  • Participação e envolvimento das equipes na aula proposta.
  • Serão analisados os argumentos apresentados nos seguintes aspectos: coerência, persuasão e interação.

 

 

OBSERVAÇÕES:

Escola Municipal Urbana Frei Eugênio – Professora Osana Leal – Data: __/__/09

A história da propaganda na TV


Em 1950 é inaugurada a primeira emissora de Televisão Brasileira e também a primeira da América Latina, a TV Tupi (canal 4) em São Paulo. A iniciativa foi de Assis Chateaubriant, um homem de muito talento e visão.
Estamos adiantados em relação a nossos vizinhos sul-americanos, já existiam tecnologias mais avançadas que a nossa, pois o ano de inauguração da TV Tupi, os Estados Unidos autorizavam o funcionamento da televisão em cores.
No que se diz respeito ao desenvolvimento de nossas industrias e bens de consumo, começamos então uma nova era eletrônica, era em que importávamos filmes em latas, as agências McCann Erikson e a J.W. Thompson, trazem o “know-how”, criando, redirigindo e produzindo programas, devido à falta de profissionais experientes em televisão, produzíamos ligeiros programas, comerciais ao vivo, eles adaptavam o modelo estrangeiro ao modelo brasileiro, mas também era em que as demonstradoras (garotos-propagandas), ganhavam seu espaço anunciando produtos, tinham muito prestigio, e mais sucesso do que muitos locutores do rádio, as que mais se destacaram foram Idalina de Oliveira, Meire Nogueira, Wilma Chandler, Odete Lara e Maria Rosa.
Infelizmente a glória desses apresentadores foi muito breve, a decadência muito rápida. Isso aconteceu por inúmeros motivos. Diziam apenas plataformas de texto, somente faladas, que muitas vezes eram simples estratégias de proposições de venda enquanto alisavam carinhosamente o produto.
Não existia lado criativo, só se mostrava razão de compra. Além de muitas vezes na demonstração do produto algum imprevisto ocorria e como os comerciais eram feitos ao vivo, as apresentadoras geralmente não sabiam como reagir a tal situação levantando todo um trabalho de convencimento do público sobre o produto os outros produtos, tudo então ia por água abaixo.
Começou então o que foi chamado de estilo transamazônico, um estilo de anúncios longos que existe até hoje, havia uma preocupação de que quanto mais se falava, mais se convencia o público, mas falar demais nem sempre é seguro, pois as pessoas perdem tempo em ler com atenção um anúncio na rua enquanto está passando, anúncios devem ser breves e que chamem atenção, mesmo nesta época achava-se anúncios curtos, rápidos no entendimento, interessantes, esses sempre existiram, e quanto menor e mais interessante for, é sempre bem vindo.
Fundou-se em 1951, pela necessidade de formar profissionais da área, a primeira Escola Superior de Propaganda. Com professores escolhidos entre os profissionais mais qualificados e empenhados a orientar e visar o lado prático. Com tudo isso, a escola formou incontáveis publicitários. Sendo que grande parte deles foram aproveitados por agências e veículos de comunicação, que hoje estão nos altos escalões da publicidade.
A Escola Superior de Propaganda foi o sinal da maturidade da profissão no Brasil. Surgir em São Paulo foi importante, pois as iniciativas no campo da publicidade ainda estavam com o Rio de Janeiro e também importante por diversificação das industrias.
Com a popularização dos eletrodomésticos, como a GE, Walita, entre outras, não existiam profissionais que dessem conta de tantos trabalhos. Os bons em criação eram poucos, então tinham que trabalhar horas após o término do expediente. Muitas vezes, várias agências utilizavam o mesmo redator, outra competição, 15 agências em que 13 apresentavam layout do mesmo artista. Mesmo na política, o mesmo publicitário fazia a campanha de vários e principais candidatos.
Não podemos deixar de retratar as industrias automobilísticas, Volkswagen, Ford, Jeep, Chevrolet, entre outras, que levantaram uma concorrência muito forte, também fazendo com que publicitários do Rio de Janeiro migrassem para São Paulo.
Um grupo de São Paulo, em 1956 lança a Revista Propaganda, que tratava de assuntos ligados a Publicidade e Propaganda e também o futuro do Brasil, promoções, verba de propaganda, as perspectivas do ano e os destaques. A revista nascia sob o signo do profissionalismo e acima de tudo assinada por grandes nomes da propaganda brasileira.
Com tanto crescimento, ficava difícil saber quais das propagandas eram boas, tinham qualidade, eram muitos anúncios bons, outros ruins, mas eram maçantes, comuns.Até a Kolynos lançar um anúncio que dizia: “Ah!… gente dinâmica prefere Kolynos”.A diferença dos outros anúncios de creme dental estava clara, até então os anúncios de creme dental travam de assuntos repetitivos, cáries, mau-hálito, dentes brancos.
A Kolynos quebrou paradigmas, incorporou a refrescância com a expressão “Ah!…”, foi curta, direta e extremamente criativa, causando muita polêmica nos concorrentes.
A propaganda na Televisão iniciou-se praticamente do “zero”, em 1951, os comerciais de 30 segundos custavam 120 cruzeiros antigos, mesmo assim os anunciantes eram poucos, geralmente tinham públicos restritos, como a Casa Clô e Persianas Columbia, como a TV era um aparelho muito caro, somente pessoas com alto poder aquisitivo tinham, pessoas da alta sociedade paulista. Apesar de não produzirmos aparelhos de TV, não termos público e o mercado publicitário ainda ser jovem, Chateaubriand vendeu um ano de espaço publicitário de televisão para as empresas: Sul América Seguros, Antarctica, Moinho Santista e empresas Pignatari (Prata Wolf), só viram para TV anos mais tarde, quando ela se popularizou.
O repórter fundador do Diários Associados, da TV Tupi, a frente de O Jornal do Rio de Janeiro, dono cadeia de jornais e emissoras de rádio, e mais tarde o homem de propaganda, Assis Chateaubriant foi o criador do primeiro departamento de propaganda de um jornal no Brasil. Analisava os outros jornais e os anunciantes destes, procurava e questionava os responsáveis pelo departamento o porque aqueles anunciantes não anunciavam em seu jornal. Às vezes ia até as agências e procurar saber o mesmo, chegava até a ditar a redação de anúncios.
Durante a Campanha Nacional de Aviação, ele procurava novos doadores, isso lhe era muito importante, pois estava diretamente ligado ao mundo.Tudo para ele era ligado a promoção, como a Campanha da Criança, para a implantação de centenas de Postos de Puericultura em todo o país. A Festa de Coberville, a promoção do Algodão em benefício da economia algodoeira nordestina, aqueles que ajudavam, tinham destaque na publicidade. Com esse empenho ele também conduziu a campanha para a construção do MASP – Museu de Artes de São Paulo.
Seu trabalho era extenso, trabalhou em várias segmentações e mais tarde novas estações de sua rede de televisão

http://www.mundodatv.com.br/producao/comerciaishis.asp

________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

 


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: